segunda-feira, 16 de julho de 2018

Israel Araújo: Crônica "O Roubo do Gato Morto"



O Blod d'A Folha de Maiauatá disponibiliza umas das produções em prosa (ficção) do professor e poeta Israel Fonseca Araújo, Acadêmico-Fundador da ACADEMIA IGARAPEMIRIENSE DE LETRAS (AIL), onde ocupa a Cadeira 07 (Patrono: Manoel Luiz Fonseca), primeiro Presidente desse Silogeu (2015-17).
Mestre em Letras (UFPA), o poeta vem se assumindo como o "Poemeiro do Miri", há quase uma década, sendo que é no Blog homônimo (www.poemeirodomiri.blogspot.com) que costuma publica a maioria de suas publicações (poéticas, artigos de opinião, mas, sobretudo, suas produções do campo da pesquisa acadêmica na grande área dos estudos linguísticos, enunciativos, com fundo na Análise do Discurso (vertente francesa), além de pesquisas no campo dos estudos literários (Graduação e Especialização em Letras).

Segue a crônica: 



O roubo do gato morto
(Crônica aguda)

Israel Araújo (Poemeiro do Miri)


Se se diz que é verdade ou mentira, importa pouco, e pode mesmo ser coisa de “pouco gosto”. É preciso contar o que não deve ser escondido, claro.

__ Ela já saiu com a “coisa”, pra jogar na rua, pro carro do lixo.
__ Ainda bem, retruca a vizinha, já incomodada com o que poderia advir dali.

Nada de tão sério assim, mas, em terra de amputados, quem tem uma perna... já viu! Verdade é coisa de relativismos, pensa, às vezes, a vizinha do lado. “Mas ainda bem que ela foi jogar fora o bicho”, resmunga.

__ Nesta vida, vivem inventando coisas. A tal da “modernidade”, vizinha. Veja a senhora se isto tem cabimento. Guardar uma coisa dessas na própria casa...?

__ Cruz Credo!, retruca a outra.

Mas quem pensa em tudo levar vantagem, bem, quem pensa assim vez ou outra entra pelo...

Era já pra bem depois das nove, medo de o caminhão do lixo passar e o “bicho” ficar pra trás, de não ser levado.

__ Tenho de despachar logo, logo isto. (“E a agente vive é arrumando para cara da gente, mesmo”, pensa consigo)

Assim que saiu de sua casa, sacolas da “Y. Yamada” às mãos, (já falecida, essa) o tal “bicho” segue pra ser jogado ao destino final, aquele que ninguém sabe para onde vai, mas todo vê no crescimento dos entulhos, a olhos nus nas nossas cidades. O “bicho” já quase chegado às latas derradeiras.

__ Pode passá já pra cá esse troço, p***, que tu já deveu!

E assim lá se foi o gato morto, de dois dias, que dona Maria queria jogar por fim no caminhão do lixo.

Essas tais de “modernidades”.


sexta-feira, 6 de julho de 2018

Francilene Valente: Poema LENDAS DO MEU LUGAR

LENDAS DO MEU LUGAR

Lene Valente (2014)



É com grande satisfação
Que a todos vou falar
De um lugar acolhedor
E bastante popular
Para muitos que aqui
Estão a me escutar

Lá eu nasci, cresci
E me pôs a estudar
E mais tarde da comunidade
Comecei a participar
E logo em seguida
Comecei a trabalhar

Hoje muitas coisas
Os homens modificaram
E as bonitas histórias
Pra contar ficaram
Gravadas na memória
Daqueles que apreciaram.

Deste lugar eu tenho
Muito o que falar
Foram tantas as histórias
Que eu ouvia contar
E muitas delas
Eu me atrevo a relatar.

Rio Maiauatá
É de quem estou falando
E na cultura lendária de lá
Que vou mergulhando
E pelo imaginário Amazônico
Rapidamente vou viajando

Vou começar pela lenda
Da cobra encantada
Que muita noite foi
Por minha avó contada
E que eu ouvia
E ficava admirada.

A cobra já estava grande
E precisava desencantar
Mas era preciso ter coragem


Para os desafios encarar
Porque se tudo desse errado
Seu encanto ia redobrar

Mas tinha também a lenda
Da matinta pereira
Que por lá passava
Toda sexta feira
Com o seu forte assovio
Deixando aquela zuadeira.

Muito se falava
Da lenda do lobisomem
Que quando vinha
Sempre estava com fome
A noite era bicho
E de dia voltava a ser homem

Do boto namorador
Eu ouvi muita gente falar
Que a sua preferencia era
As mulheres do lar
Ele deixava o marido sair
E subia pra namorar,

A iara também era
Uma moça encantadora
Que seduzia os rapazes
De uma forma dominadora
E muito se comentava
Sobre sua beleza sedutora.

Isto é um pouco
Das lendas do meu lugar
Que por muito tempo fez parte
Da crença popular
E que aos pouco foi se perdendo
E deixada pra lá

Os nossos avós
Até tentaram preservar
Essa cultura lendária
Que hoje não se vê falar
Pois a tecnologia chegou
E roubou o seu lugar.


_________________

Nota do Blog: Francilene Farias Valente Araújo (Lene Valente) é líder comunitária na C.C. São Benedito-Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, instalada no Rio Maiauatá, onde trabalhou por mais de mais de 15 anos como Agente Comunitário de Saúde. Tem Graduações em Matemática (UNISA) e em Educação do Campo (UFPA) e cursa Especialização em Ensino de Matemática e Física (e-mail: lenefarias29@hotmail.com).

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Opinião: A COPA DOS MUNDOS (DE FUTEBOL) É SOMENTE UM TORNEIO (DE FUTEBOL). É MAIS, MAS É MENOS, TAMBÉM



Prof. Israel Fonseca Araújo (editor; poemeiro@hotmail.com)
(publicado, antes, no Blog Poemeiro do Miri)
  

A B R E  A L A S

Estive procurando um tempo para escrever um pequeno texto sobre uma parte do que venho refletido, nesses últimos 20 anos, sobre a Copa do Mundo de Futebol. Mas poderia parecer modismo, e isso me desligou da ideia de sacrificar umas horas de meu descanso. Pra que falar, se pareceria que é “por moda”?; mas, como não se trata de modismo, vejo que preciso falar, uma vez que este “Poemeiro do Miri” (o Blog) tem uma responsabilidade com os debates que se instalam na Terra do Açaí; e, por que não insinuar, no mundo todo (já que a web é do mundo todo)?

Nesse sentido, venho me justificar a um pouquinho de amigos e amigas que tenho, aos colegas e a quem lê os escritos aqui publicados. Há uma relação entre nós e a mesma pode ser mais duradoura, mais plural e densa, inclusive podemos instalar bons debates físicas pelos caminhos de canoa (ou não) desta cidade.
Ora, estou (praticamente) nem aí para essa Copa da Rússia. Reconheço o que é (ou o quanto) significa, para mim e para muitos brasileiros(as), o Futebol. Aliás, o futebol masculino significa muito, pois a modalidade praticada pelas mulheres parece profundamente desrespeitada pelas autoridades, pelos clubes, pela imprensa (imprensa golpista, à frente). Não me conforma por ver uma terra de boleiros (Igarapé-Miri-PA), uma região de boleiros (Baixo Tocantins), um lugar de excelentes jogadoras(es) não ter política pública de incremento aos esportes, ao lazer: sim, esportes, pois não se trata somente do Futebol (m/f). A diversidade é outra magna marca. Neste Miri, o melhor que já se fez (desde que acompanho esses governos) foi na gestão Miguel Pantoja (1993-96); depois disso, uns pequenos investimentos, mas um trabalho mais sólido... neca, neca.

É claro que a entrega de cargos (funções, Diretoria, Departamentos) a pessoas ligadas aos empresários e comerciantes do Miri, a dirigentes de partidos políticos (uns até estouram cadeados para adentrar às salas)... só poderia dar em um trabalho pífio. Sim, o trabalho com os esportes em Igarapé-Miri, ao longo de tantos anos, no que tange às administrações que por aqui passaram (teve uma que durou praticamente 24 horas!!!!) tem sido pífio.
Pode melhorar; creio que melhorará, mas ainda não chegou aqui um Prefeito(a) que tenha essa percepção, esse olhar. Ou, melhor dizendo, se apareceu algum candidato(a) que pudesse trabalhar melhor por essa política pública, o Povo não quis e demonstra não querer que se eleja. Que trate os esportes como uma construção, como um “plantar”; até estes dias, a regra de entregar as “pastas” a políticos (???) e/ou a empresários é a lei desta terra (de outras, tmb).
Enfim, ficamos nesse círculo vicioso: um pouquinho de futebol masculino, nada de feminino, praticamente zero de esforços noutros esportes e nossos talentos vão ficando desvalorizados, desmotivados, não se vê perspectivas e o mesmo vira “pelada”. O poder público dá de ombros e os arranjos políticos seguem como a tônica dos faroestes. Quando temos a oportunidade de escolher bons homens e boas mulheres para representar o Povo (na Câmara e na condição de Prefeito(a)), parece que acontece uma anti-mágica...

Mas não estou olhando a Copa da Rússia desse jeito (“...estou (praticamente) nem aí para essa Copa da Rússia”) em razão da conjuntura social, histórica de Igarapé-Miri-PA, somente; não; não é isso. Minha relação com as Copas do Mundo (ou Copas dos Mundos, pois os mundos onde vivem Neymar Jr. e Ronaldos, de Portugal e do Brasil, não são os mundos que existem neste Mundo: não são) vem sendo re-construída, reavaliada desde a Copa da França-1998. Refleti bastante depois daquela (em 1994, eu era um adolescente de 17 anos, menos estudos, menos leituras); sei que tem muito mais coisas entre esse céu (FIFA) e essa terra (o Povo), mais e bem mais do que supõe a nossa esperançosa filosofia. Tem muita coisa correndo sob as pontes (não as lindas, as dos goleiros), mas, nem sempre, nos damos conta disso. E, pior: amanhã, um de nós ainda pode (ou poderá, Deus o livre) votar num Aécio das Vidas, que é apoiado (nos seus crimes contra o país) por Ronaldo e por Neymar Jr. (da Nike), das relações da CBF (as investigações ainda deverão dizer muitas coisas sobre esta), que são íntimos dos “caras”, dos “ruques” da TV Globo, que são todos muito íntimos de Aécios, Fernandos, serrotes e pessoas temerosas.

Ora, depois ainda vamos ficar resmungando porque a “merenda” das crianças de São Paulo está escassa, porque a Saúde pública tá cheia de sanguessugas ou porque a corrupção em parte do sistema policial está nos matando cada vez mais, ou podemos estar reclamando diante das notícias da TV (que pode ser a Globo, referência no sistema golpista brasileiro: sempre me refiro a Golpe contra a Democracia, contra os Direitos dos Trabalhadores(as), contra os estudantes e os pesquisadores(as), contra as Universidades e demais centros de pesquisa; golpe é golpe; é a anormalidade. É disso que falo, espero que tenha ficado claro). Se nós estamos patrocinando o sistema de golpes, se estamos empoderando a TV Globo (maioria de nós), se estamos dando as condições para nossos algozes nos prejudicarem (enquanto povo que trabalha, produz, faz o país crescer, dá os lucros aos endinheirados deste país), de ada adianta fazer resmungos por aí. Haja contradição, não?

Vejamos, se a raiz de nossos males (também) está nesse sistema de golpes, por que o fortalecemos tanto?

A CBF, o time de convocados (com visão de futuro para as próximas vendas, nas “janelas” futuras, aos lucros das marcas, não apenas Nike, Itaú etc.), o “professor” Tite, a estrutura da Rede Globo e outras congêneres, nada disso merece nosso apoio. Mas não estou dizendo um “não” à paixão, só estou acenando com algumas luzes sobre certos aspectos que constituem esse todo (poucos, muito poucos aspectos). O que se ramifica para os campeonatos de Futebol (na Europa, nas Américas, no Brasil, no Clube do Remo-PA) e por aí vai. O que precisamos fazer, diante dessa estrutura toda, é buscar entende-la, cada vez mais e com maior profundidade; entender o sistema de manipulação, o sistema de golpe líquido (sempre mutante, em trânsito, que se metamorfoseia o tempo todo) é um dever, uma tarefa para quem está do lado de cá.
O meio do muro não é saída para Nós. Estamos em lados opostos. Ou abrimos os olhos, ou...

P E R T E N C I M E N T O

A Copa “dos mundos” de Futebol é somente um Torneio. Torneio de bilhões, possivelmente irremediavelmente atravessado pelas corrupções, não é nada mais que isso; se motiva mais pessoas a praticarem esportes, creio que sim. Mas esse legado positivo é bem menor do que os danos que a mesma traz: no caso brasileiro, com a Rede Globo (e demais estruturas golpistas) tentando manipular (e conseguindo em grande medida...) nossa população é um dos resultados mais nítidos. A relação (ou seria equação?) Globo – Nike – Neymar Jr. (e Neymar–pai, tmb) – Galvão – Itaú (que patrocina golpes, retiradas de direitos da classe trabalhadora, que luta contra os professores/as do Brasil, contra a nossa Educação pública) – Vivo e outras bem que poderia ser melhor debatida. Problematizar a camisa amarela como símbolo de Golpes, como emblema da devastação de nossos direitos (Reforma Trabalhista, prejuízos para a Educação, cortes em programas de inclusão social...), como irmã-zinha do patinho da FIESP.

Enfim, Copa não é o que dá o tom de nosso pertencimento. Somos mais e o Brasil significa mais, para Nós, do que as manifestações de cores e de torceres (literalmente, torcer) que chegam e passam, a cada quatro anos (o que significa, para nós, as execuções de servidores públicos, de religiosos, de trabalhadores(as) rurais em luta pela terra?; as injustiças contra nossos líderes (sindicalistas, padres, agricultores...) a nós significam o quê?).
Se temos essa brasilidade toda, temos de mostra-la defendendo os nossos direitos, em primeiro e em último lugar. Não podemos sair do front de batalha. Não podemos nos embriagar com os anúncios, as cores, as cenas enunciativas tão bem tecidas pelas emissoras de televisão (e seus portais e co-portais na internet), com a sensação de que o “Brasil vai pra frente”, isso porque vence uma partida, avança de fase no Torneio. É preciso ver o Neymar Jr., mas como uma pessoa que pode estar sonegando impostos (isto é, ............), os quais são (de fato) recursos para a Saúde e para a Educação públicas. Que ele pode estar sendo protegido não somente pelo Galvão Bueno, mas pelos órgãos federais, pela Justiça brasileira (talvez, se ele fosse do front da classe trabalhadora, poderia estar preso em Curitiba-PR). Qual a importância de um play boy milionário (com o devido respeitos aos mesmos) para o reerguimento do Brasil, neste momento? Para que está contribuindo essa armação toda (emissoras de TV, CBF, marcas esportivas e de celular, bancos etc., jogadores e empresários/mercado), em termos de ajudar este país e se reerguer depois de tamanhos golpes nas costas?

Quantos anos um processo, uma Ação judicial, uma investigação poderia durar nas instâncias (inter)nacionais, se comparada a outras, movidas contra outras pessoas?; o mesmo tempo destinado a Paulo Maluf (SP) e a Simão Jatene (PA) e Jader Barbalho (PA)? Em atenção a essas mínimas questões postas, qual poderia ser nossa postura de avaliação, de exames, de criticidades diante de um Torneio mais que bilionário de Futebol?


N A D A  C O N T R A

Nada contra nada. Apenas uma brevíssima análise. Como os jogos estão correndo nos dias de semana, nos horários de trabalho, com os compromissos todos que nós todos temos, vou vendo uma coisinha aqui e outra acolá, mas a reflexão sobre o que é uma Copa do Mundo de Futebol (um Torneio de Futebol) é necessária; e nunca foi tão necessária, nunca mesmo.

É muito bom, é show de bola reunir pessoas queridas e ver jogos, brincar, se distrair (“distensionar”, como diz amigo meu); o que pode ser feito não somente a cada quatro anos.
Mas era somente um bate-papo, mesmo: até mais.




domingo, 27 de maio de 2018

FENÔNEMO PARANORMAL ASSUSTA FAMILIA NO RIO MAIAUATÁ







Registro de copo quebrado durante os episódios


                                                        Destroços de objetos quebrados


                                                         Foto frontal da residência

Um mistério ocorrido na segunda semana desse mês de maio assustou uma família que reside às margens do Rio Maiauatá (localidade bico do bexiga) em frente à Vila de Maiauatá, município de Igarapé-Miri.  Os moradores relatam que durante mais de uma semana, episódios estranhos aconteceram na residência da senhora Euzébia Quaresma.
De acordo vários relatos feitos pela moradora, vizinhos e familiares que presenciaram os fatos, durante aqueles dias, copos se moviam em direção horizontal, vindo a quebrar em seguida, uma faca caiu apontada na parede, um alicate por pouco não feriu um pessoa, entre outras situações.
Dalciney Pantoja, que é técnico de enfermagem e sobrinho da moradora alega também ter presenciado diversas situações estranhas durante aqueles dias.
Um dos familiares que alega ter vivenciado um dos fatos, afirma que viu um celular se mover estranhamente e cair em um balde com água.
A moradora afirmou que os episódios coincidiram com destruição de objetos religiosos (imagens sagradas) de sua residência, por familiares do esposo.
De acordo com o Padre Dennes Lima (Pároco da Paróquia de Sant’Ana) esses fatos são possíveis de ocorrer e podem ser objetos de estudo da Parapsicologia.


(Fotos: Dalciney Pantoja)



terça-feira, 22 de maio de 2018

ESCRITORES MIRIENSES TOMARÃO POSSE NA ACADEMIA PARAENSE LITERATURA DE CORDEL


Acontece no próximo dia 09/06 no Hangar Centro de Convenções da Amazônia a posse dos poetas/cordelistas mirienses Antonio Marcos Ferreira, José Jorge Coelho (Jotha Coelho) e Maria de Nazaré Ferreira na Academia Paraense de Cordelistas da Amazônia. Os três integram a Academia Igarapemiriense de Letras e agora passam somar-se aos grandes nomes da literatura de cordel do Estado do Pará.

CONHEÇA CADA UM DOIS TRÊS ESCRITORES:

ANTONIO MARCOS QUARESMA FERREIRA, poeta, cordelista, professor, liderança política. Filho de Antonio da Costa Ferreira e Maria Raimunda Quaresma Ferreira, natural do município de Igarapé-Miri (PA).
É Graduado em Filosofia pela Universidade Federal do Pará UFPA ). Especialista em Educação, Diversidade e Inclusão pela Universidade Católica Dom Bosco - UCDB (MT). Mestrando em Políticas Públicas pela Fundação Perseu Abramo/Parceria com a   FLACSO/Brasil. É professor da Rede Estadual de Educação– SEDUC/PA.
Autor de diversas obras como: CAMINHOS DI-VERSOS, 300 ANOS DE FÉ E TRADIÇÃO NA TERRA DE SANT'ANA (parcerias com sua esposa Vanilza Ferreira); “CONTRASTES, poemas que nascem na Amazônia” (parceria com o poeta Israel Araújo), organizador de “ESCRITOS EM VERSOS EM PROSA: 1ª Antologia Miriense de poema, contos e lendas”. Participou da coletânea de artigos “EDUCAÇÃO DO CAMPO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E SOCIEDADE”, com artigo “Sobre sentido da Política em Hannah Arendt” – ambas sob responsabilidade do INCAM – Instituto Caboclo da Amazônia, entidade que também ajudou no processo de fundação.
Participou do POMAR (Entidade literária - Poetas de Marituba, PA). É membro da ASSOCIAÇÃO ARTÍSTICA ANANIN (Ananindeua, PA).  Foi representante da região da II Conferência Nacional de Cultura ,2010, Brasília. Foi um dos articuladores na criação do COMCIM - Conselho Municipal de Cultura de Igarapé-Miri.
Ocupa a cadeira nº 1 da Academia Igarapemiriense de Letras, tendo como patrono o poeta Manoel Alexandrino Machado.
MARIA DE NAZARÉ PENA FERREIRA nasceu às margens do Rio Maiauatá, município de Igarapé-Miri, PA, em 07/10/1958. É filha de Luzinar Venceslau Ferreira e Maria Pena Ferreira. Reside, hoje, na Cidade de Igarapé-Miri, sempre participando de movimentos ligados a cultura, tais como: Feiras e Conferências Culturais. Nome artístico “Nazaré Ferreira”, é poetisa cordelista, começou a rimar com sete anos de idade e publicou seu primeiro trabalho em 2010, é atuante nas redes sociais. Autora de três livros:“A Voz do Vento é a Nova Inspiração”, “O Menino Que Nos Salvou Sem Preconceito de Cor” e “A Lenda das Cobras Grandes em Cordel”. Participou de cinco antologias: “Escritos em Verso & Prosa”, “1ª Antologia de Cordelistas da Amazônia”, “Primeira Antologia da Academia Igarapemiriense de Letras, Diversidade” “Mundo das Poesias” e "As Mais Lindas Poesias de Amor" Já ultrapassou a marca de mil poemas de sua autoria. É Imortal Sócio Fundador da Academia Igarapemiriense de Letras, cadeira nº 09, Patrono Padre Henrique Riemslag, é Embaixadora Internacional e Imortal da Poesia pela Academia Virtual de Letras, Arte e Cultura Embaixada da Poesia, é Acadêmica da AMCL (Academia Mundial de Cultura e Literatura), Patrono: Rubens Jardim, Cadeira 95.
JOSÉ JORGE LOBATO COELHO, filho de José Marques Coelho e Maria das Graças Lobato Coelho, brasileiro, paraense do município de Igarapé Miri, nasceu em 10 de fevereiro de 1966, no rio Pindobal. Desde jovem sempre gostou de escrever, iniciando a vida de poeta ainda na escola com pequenos textos. Estudou de 1ª a 4ª série na Escola Estadual do Rio Pindobal, prosseguiu seus estudos na Escola Manoel Antonio de Castro, onde concluiu o ensino fundamental e o médio. Após migrar para a cidade no desafio de estudar, trabalhou como balconista no extinto Supermercado São João (Taviquinho). Ao finalizar seus estudos ingressou no Seminário Cristão Evangélico do Norte, Cursando Teologia Cristã, e ao mesmo tempo, dedicou-se à profissão de locutor de rádio onde foi apresentador de alguns programas evangélicos e esportivos, com destaque para os programas Manancial da Vida, na publicidade da Igreja Cristã Evangélica e Diário Esportivo na extinta publicidade A Voz do Dia (onde fazia dupla com J. Santiago), trabalhou também nas rádios Sintonia FM, Rádio Progresso, A Voz do Povo, IBS Publicidade (Tailândia), Rádio Comunitária Natureza FM, Rádio Comunitária Tembés FM, realizou cobertura esportiva como repórter nos principais estádios do Pará e da Região Norte, inclusive cobrindo jogo da Seleção Brasileira e de vários clubes do sul do país. Exerceu o ofício de professor por mais de cinco anos nas escolas: Gabriel Lage (Tailândia), Escola Municipal do Rio Tucunareí Grande (Igarapé-Miri), Escola Pequeno Polegar (Tailândia). Após processo seletivo em 1996, passou a trabalhar como Agente de Endemias na extinta SUCAM, no município de Belém, em seguida, transferido, veio trabalhar em Igarapé-Miri (seu município de origem). Com a municipalização da saúde, tornou-se funcionário municipal, na coordenação do trabalho de combate à dengue, onde formou a primeira equipe de Agentes de Endemias Municipal, e iniciou o trabalho de IEC  (Informação, Educação e Comunicação), ferramentas para a prevenção à saúde, inclusive sediando a primeira oficina de Rádio e Jornal Comunitário em Igarapé-Miri, ministrada pela UNAMA. Durante à sua coordenação a equipe de IEC gravou CD com músicas preventivas, apresentou-se em vários municípios e feiras de saúde. Em 1999, passou a coordenar o Projeto Comunidade Ativa (Programa do Governo Federal), onde foram realizadas várias ações em prol da comunidade miriense, tais como limpezas urbanas, conscientização à comunidade, cursos de empreendedorismo (em parceria com o SEBRAE), solicitação de melhorias junto às esferas municipal, estadual e nacional, em parceria com o Projeto Alvorada, foi conquistado o projeto de água potável, pavimentação asfáltica da PA 151, a Escola de Ensino Médio MAC, entre outros. Coordenou o Projeto Saúde à Distância (SESPA), em Igarapé-Miri. Em 2005, coordenou o Projeto IEC, na cidade de Ourém, onde realizou várias ações locais. No mesmo município fundou o Jornal de Ourém (periódico mensal), em seguida transformando-se no Jornal Ourém Express, circulando nos municípios de Ourém e Capitão Poço, que ficou ativo com essa epigrafe até 2009 (mudando o nome para Guamá Express, por parte dos colunistas que ficaram direcionando o referido jornal), quando Jorginho retornou para Igarapé-Miri, novamente para coordenar o IEC. Em 2010, fundou o Jornal Sementes, logo de início com cunho religioso, e depois tornando-se um jornal independente circulando com notícias da cidade e adjacências. Atualmente o mesmo resiste apenas como blog na internet e um pequeno escritório de design gráfico. Atualmente tem se dedicado a escrever literatura de cordel, contos, romances e escritos religiosos. De espírito crítico/satírico e sentimentalista, Jorginho como é mais conhecido mantém alguns blogs na internet onde posta alguns de seus escritos (Atualmente é coordenador de IEC - Secretaria Municipal de Saúde de Igarapé-Miri. Poeta Cordelista. É Imortal Sócio Fundador da Academia Igarapemiriense de Letras, cadeira nº 05 Miguel Benedito Quaresma Afonso “Boboca”.




quarta-feira, 16 de maio de 2018

COMISSÃO PUBLICA HOMOLOGAÇÃO DE INSCRIÇÕES PARA ELEIÇÃO DA NOVA COORDENAÇÃO DO SINTEPP





A Comissão eleitoral para eleição da nova coordenação do Sintepp (sub-sede Igarapé-Miri) tornou público na última sexta -feira 11/05 o edital que homologou o registro de candidaturas para o referido pleito. Apenas uma chapa se inscreveu para concorrer ao processo.
A escolha da nossa coordenação ocorrerá nos dias 06, 07 e 08 de junho de 2018 (conforme edital). Os cargos em disputa são:  Coordenação-Geral (02 cargos);Coordenação de Secretaria-geral (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Finanças (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Formação (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Educação do Campo (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Assuntos Jurídicos (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Previdência e Aposentados (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Eventos Culturais e de Lazer (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Funcionários (profissionais não-docentes; 02 cargos); e Coordenação de Secretaria de Comunicação (02 cargos).
 O mandato da nova coordenação iniciará no dia 13/06/2018 e vai até 12/06/2021. O edital de homologação se encontra quadro de aviso do SINTEPP e em diversos órgãos públicos do município.

domingo, 29 de abril de 2018

COMISSÃO ELEITORAL LANÇA EDITAL PARA ESCOLHA DE NOVA COORDENAÇÃO DO SINTEPP DE IGARAPÉ-MIRI


Foi lançado do dia 20 de abril, na cidade de Igarapé-Miri, o edital para escolha da nova coordenação municipal do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (SINTEPP- Sub sete Igarapé-Miri).
Os cargos em disputa são:  Coordenação-Geral (02 cargos);Coordenação de Secretaria-Geral (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Finanças (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Formação (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Educação do Campo (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Assuntos Jurídicos (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Previdência e Aposentados (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Eventos Culturais e de Lazer (02 cargos);Coordenação de Secretaria de Funcionários (profissionais não-docentes; 02 cargos); e Coordenação de Secretaria de Comunicação (02 cargos).
As inscrições de chapas ocorrerão no período de 07 à 10 de maio no horário vespertino. A escolha da nova coordenação ocorrerá nos dias 06, 07 e 08 de junho de 2018, nos termos definidos no Regimento Interno, aprovado em Assembleia-Geral, para mandato que iniciará no dia 13/06/2018 e vai até 12/06/2021.
As informações do pleito encontram no edital e no regimento interno do referido processo eleitoral que se encontram no quadro de aviso do SINTEPP e em diversos órgãos públicos do município.
Poderão votar os filiados do SINTEPP  que tiverem seus nomes publicados na relação de aptos à votar (que será publicada pelo Sub do SINTEPP até o dia 18/05). O Sintepp é umas entidades com forte atuação na defesa de direitos e da cidadania no município de Igarapé-Miri.